Fale conosco pelo WhatsApp

Blefaroplastia

Blefaroplastia imagem ilustrativa

Imagem: Shutterstock

Blefaroplastia, ou cirurgia das pálpebras, promove rejuvenescimento na região dos olhos e é indicada para corrigir problemas a ptose palpebral. Saiba mais a seguir.

A blefaroplastia é uma cirurgia das pálpebras que promove a correção estética e, por vezes, funcional, da região dos olhos. No Brasil, este procedimento está entre as intervenções mais realizadas, ocupando o 4º lugar, com cerca de 145 mil intervenções anualmente. Trata-se da 2ª cirurgia plástica mais realizada entre os homens, e a 3ª entre as mulheres.

Mesmo com essa alta adesão, é normal que as pessoas ainda tenham muitas dúvidas sobre as indicações e resultados da cirurgia das pálpebras, como o procedimento é realizado, cuidados pré e pós-operatórios e riscos associados. Confira a resposta para essas e outras questões a seguir.

Quais as indicações da blefaroplastia?

A blefaroplastia é uma cirurgia plástica indicada para rejuvenescimento da região dos olhos, com a correção estética ou funcional das pálpebras, tratando especialmente duas condições:

  • Ptose palpebral, que consiste na queda das pálpebras devido à fraqueza muscular;
  • Pseudoptose palpebral, que consiste na queda das pálpebras devido à flacidez e excesso de pele.

Tanto a ptose quanto a pseudoptose podem causar o comprometimento da vista do paciente, casos nos quais a demanda pela cirurgia deixa de ser meramente estética e passa a focar na saúde do candidato ao procedimento.

Além dessas correções, a blefaroplastia também permite a remoção de pequenas bolinhas de gordura que se formam na região dos olhos chamadas de xantelasmas.

A cirurgia das pálpebras pode ser realizada tanto nas pálpebras superiores quanto inferiores e pode ser até mais ampla para atender outras demandas estéticas da área, como amenizar bolsas de gordura, rugas e flacidez.

Devido a essas indicações, a blefaroplastia é mais comum em pacientes com mais de 30 anos, sendo ainda mais procurada por pacientes com mais de 50 anos.

Como é o pré-operatório da cirurgia das pálpebras?

O pré-operatório da blefaroplastia não difere do realizado para outras cirurgias plásticas, sendo que as etapas principais incluem:

  • Avaliação do cirurgião plástico para verificar se a cirurgia das pálpebras atende às necessidades do paciente;
  • Realização dos exames pré-operatórios, incluindo hemograma, glicose, coagulação, urina e eletrocardiograma;
  • Planejamento cirúrgico, com definição da técnica e agendamento do procedimento após constatação da boa condição de saúde do paciente;
  • Pré-cirúrgico, que pode demandar interrupção de alguns tipos de medicamentos, refeição leve no dia anterior e jejum de 8 horas antes da internação hospitalar.

Como é comum que a blefaroplastia seja realizada por pacientes com mais de 50 anos, a investigação de suas condições de saúde durante a etapa pré-operatória pode ser mais detalhada, especialmente se houver alguma patologia prévia, como diabetes e hipertensão.

Além disso, a investigação de patologias cardíacas é mais extensa em pacientes da terceira idade, visando aumentar os níveis de segurança na execução da cirurgia plástica.

Outras possibilidades do pré-cirúrgico incluem período para ajustes na rotina e mudanças de hábitos. Para fazer a blefaroplastia, por exemplo, o paciente deve interromper o uso do tabaco por, no mínimo, três meses.

Como a blefaroplastia é realizada?

A blefaroplastia deve ser realizada em ambiente hospitalar, sendo executada por um cirurgião plástico de confiança. O procedimento tem duração média de 40 a 90 minutos e pode ser feito com anestesia local com sedação ou anestesia geral.

Inicialmente, o especialista faz a marcação dos locais que serão operados conforme planejamento estabelecido no pré-cirúrgico, podendo incluir pálpebras superiores, inferiores ou em ambas — e também as sobrancelhas, em alguns casos.

A incisão da blefaroplastia é feita na linha da pálpebra com os cílios, o que garante uma cicatriz bastante discreta após a recuperação. A partir da incisão, o cirurgião plástico faz a remoção dos tecidos excedentes de pele e gordura, realizando também sutura da musculatura para que ela fique mais firme.

Após a execução do procedimento, a incisão cirúrgica é fechada com pontos absorvíveis ou com adesivo cirúrgico, conforme preferência do cirurgião plástico responsável.

A alta hospitalar costuma ocorrer entre 6 e 8 horas, a depender da evolução do quadro do paciente e da anestesia utilizada no procedimento.

Quais os riscos da cirurgia plástica?

A blefaroplastia é considerada uma cirurgia plástica simples, apesar de ser invasiva como qualquer técnica cirúrgica aberta. Seus riscos mais comuns incluem:

  • Edema: consiste no inchaço durante o pós-operatório, uma condição que regride espontaneamente, em geral, entre o 4 e 8 dias após a cirurgia;
  • Hematoma: consiste no sangue que infiltra embaixo da pele ou na conjuntiva ocular devido ao trauma cirúrgico. Não apresenta riscos e desaparece sozinho;
  • Sangramento: pode ocorrer em pequena quantidade na região operada;
  • Seroma: acúmulo de líquido no local da incisão cirúrgica;
  • Alterações temporárias na visão: pode ocorrer vista embaçada, olhos secos ou dificuldade para fechar os olhos no pós-operatório imediato;
  • Sensibilidade: alterações na sensibilidade da região temporariamente, especialmente enquanto houver inchaço;
  • Cicatriz inestética: consiste em um processo inadequado de cicatrização, podendo resultar uma cicatriz esteticamente desagradável, como cicatrizes hipertróficas e queloides;
  • Infecção: todas as cirurgias são passíveis de infecção no pós-operatório, especialmente quando os cuidados não são adequados.

Apesar de esses serem os riscos mais comuns associados à blefaroplastia, a cirurgia ainda apresenta riscos raros de trombose e perda da visão.

Como é a recuperação da blefaroplastia?

A recuperação da cirurgia das pálpebras não costuma ser dolorosa ou desconfortável, mas a adoção dos cuidados adequados é essencial à saúde do paciente e manutenção dos resultados estéticos obtidos. Esses cuidados incluem:

  • Repouso parcial por 7 dias;
  • Compressas frias na região operada, sem aplicar peso no local;
  • Higienizar e secar a incisão cirúrgica;
  • Manter-se de barriga para cima e com a cabeça mais elevada que o tronco;
  • Não usar maquiagem na região por período mínimo de 15 dias;
  • Usar óculos de sol em ambientes abertos, mas evitar a exposição ao sol por, pelo menos, 30 dias;
  • Usar protetor solar mesmo em ambientes fechados para evitar manchas;
  • Usar a medicação recomendada pelo especialista que pode incluir analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, pomada cicatrizante e colírio.

Com os bons cuidados no pós-operatório e uma recuperação adequada, os resultados iniciais podem ser vistos em algumas semanas, conforme o edema melhore. Apesar disso, as linhas da incisão podem demorar até um ano para afinarem, que é quando os resultados são considerados definitivos.

Apenas o cirurgião plástico poderá informar se a blefaroplastia é a mais indicada para o caso e também avaliar as especificidades do caso. Entre em contato conosco e marque uma consulta para tirar dúvidas sobre esse e outros procedimentos.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

Clínica Clincer.

ATENDIMENTO PARTICULAR

Preencha o formulário e aguarde nosso contato ou se preferir, ligue: (11) 3062-6122


QUEM TEM UMA
BOA IMAGEM
TEM TUDO.

Entre em contato
conosco e agende
sua consulta

Atendimento pelo WhatsApp

Fale conosco pelo WhatsApp (11) 99318-1644