Fale conosco pelo WhatsApp

Ritidoplastia

imagem ilustrativa

Imagem: Shutterstock

Ritidoplastia, ou lifting facial, é a cirurgia plástica indicada para rejuvenescimento facial ao amenizar rugas, vincos, flacidez e depósitos de gordura. Saiba mais sobre o tratamento aqui.

A ritidoplastia, também chamada de lifting facial, é a cirurgia plástica facial indicada para amenizar sinais de envelhecimento facial. O tratamento pode englobar toda a face e pescoço ou apenas a fronte, terço médio ou inferior.

O rejuvenescimento facial promovido pelo lifting facial não deve ser confundido com uma solução para o processo natural de envelhecimento cutâneo, que não pode ser interrompido, de forma que os sinais podem voltar a se formar sem os cuidados adequados.

A seguir, saiba quando a ritidoplastia é indicada, como o procedimento é realizado, quais os cuidados no pré e pós-operatório e mais informações sobre o tratamento!

Quais são as indicações da ritidoplastia?

Apesar de a avaliação da cirurgia plástica não se basear apenas na idade do paciente, é comum que a ritidoplastia seja mais indicada para pessoas com mais de 40 anos, nas quais os sinais de envelhecimento já não respondem adequadamente a tratamentos menos invasivos — como preenchimento com ácido hialurônico ou toxina botulínica.

Além disso, o tratamento pode ser indicado para pessoas com tendência ao envelhecimento cutâneo precoce, o que pode acontecer principalmente por predisposições genéticas, tabaco, bebidas alcoólicas,  falta de uso de protetor solar,     cuidados com a pele e o efeito sanfona.

A ritidoplastia contribuir para amenizar os sinais mais incômodos relacionados ao envelhecimento facial, tais como:

  • Flacidez na região das bochechas e papada;
  • Vincos que acometem as pálpebras inferiores;
  • Rugas que acometem a testa e região dos olhos;
  • Flacidez e perda de tônus que levam ao caimento das sobrancelhas e dos lábios;
  • Sulco nasogeniano, que consiste na linha de expressão que se forma das laterais do nariz ao canto dos lábios;
  • Acúmulo de gordura, incluindo na papada;
  • Perda de tônus muscular e comprometimento estético do contorno facial;
  • Flacidez e depósitos de gordura na região do queixo e a mandíbula ;
  • Sulco nasojulgal.

É muito comum que a ritidoplastia seja associada à blefaroplastia para correção da estética das pálpebras, de forma a proporcionar uma apresentação facial mais harmônica e rejuvenescida. Apenas o cirurgião plástico pode fazer essa indicação, após avaliação detalhada do caso.

Mesmo a realização do lifting facial é condicionada à indicação especializada, pois o cirurgião plástico deverá verificar quais são as insatisfações do paciente e se elas podem ser atendidas com o procedimento. Outro aspecto avaliado pelo especialista refere-se à condição de saúde do paciente, tanto física quanto mental, para que ele seja considerado um bom candidato ao tratamento.

Como é o pré-operatório da ritidoplastia?

No pré-operatório da ritidoplastia, o paciente é informado quanto aos possíveis riscos e resultados da cirurgia plástica, sendo fundamental que ele tenha uma conversa honesta com o cirurgião plástico escolhido, explicando suas motivações e expectativas.

A realização de exames é um segundo passo do pré-operatório e garante que o paciente esteja apto para uma intervenção cirúrgica mais segura. Antes dessa etapa, o especialista deve ser informado sobre questões de saúde prévias, principalmente patologias crônicas.

Pode ser solicitado que o paciente faça mudanças na sua rotina, como diminuir o cigarro. Alguns medicamentos também precisam ser ajustados ou interrompidos no pré-operatório, especialmente aqueles que causam alterações na coagulação sanguínea.

Na véspera da ritidoplastia, o paciente deve ter uma alimentação leve e fazer jejum de 8 a 12 horas, conforme orientação da equipe médica. No dia da cirurgia, ele deve comparecer ao hospital com um acompanhante, sem maquiagem ou joias e com os exames pré-operatórios em mãos.

Como é feito o lifting facial?

O lifting facial deve ser feito em ambiente hospitalar e conduzido por um cirurgião plástico. No procedimento, que tem duração média de 4 a 5 horas, é usada anestesia local com sedação intravenosa ou anestesia geral.

No lifting tradicional, que envolve toda a face, é realizada uma incisão cirúrgica que segue a linha do couro cabeludo, de uma orelha a outra, para melhor visualização das estruturas.

É feita inicialmente a remoção do excesso de tecidos, como gordura e pele, o que ajuda a melhorar o contorno facial e amenizar rugas. Em seguida, é feita a sutura da musculatura para promover melhor sustentação aos tecidos e devolver o tônus muscular ao paciente, podendo também ser feito o reposicionamento de estruturas para um resultado estético mais satisfatório.

A ritidoplastia pode ser mais rápida e menos invasiva quando focada em apenas um ou dois terços faciais (frontal, médio e inferior), sendo chamada de mini lifting nesses casos.

Pode ser feito o uso de cola de fibrina para união das camadas de tecido durante a cirurgia, minimizando riscos de hemorragia e hematomas pós-cirúrgicos. Por fim, é feito o fechamento da incisão cirúrgica com uso de pontos, que podem ser absorvíveis, e bandagem.

Quais os riscos e benefícios da ritidoplastia?

Como todas as cirurgias plásticas, a ritidoplastia também apresenta uma série de possíveis riscos que, mesmo quando raros, devem ser informados previamente ao paciente. Entre eles estão:

  • Edemas e hematomas;
  • Seroma;
  • Infecções;
  • Sangramentos;
  • Alterações na sensibilidade da pele;
  • Assimetrias;
  • Má cicatrização e cicatrizes inestéticas, como hipertróficas e queloides;
  • Necrose da pele ou do tecido adiposo;
  • Tromboembolismo .

Muitos desses riscos são comuns a qualquer intervenção cirúrgica, mas é fundamental informar o paciente para que ele tenha ciência antes de decidir pelo procedimento.

A ritidoplastia também apresenta benefícios, como rejuvenescimento facial, amenização de rugas, linhas de expressão, sulcos e vincos faciais, melhora da flacidez cutânea, melhora do tônus muscular e suavização de depósitos de gordura.

Como é o pós-operatório do lifting facial?

No pós-operatório da ritidoplastia, os cuidados ajudam a ter uma recuperação mais rápida e dentro do esperado, evitando complicações pós-cirúrgicas e problemas estéticos. Entre as recomendações, destacam-se:

  • Repouso entre 10 e 14 dias;
  • Evitar exposição solar por 30 dias;
  • Retomar atividades mais intensas em 30 dias ou mais, conforme evolução do quadro;
  • Manter a bandagem no local pelo período indicado;
  • Manter a cicatriz limpa e seca;
  • Usar pomada cicatrizante, quando recomendado;
  • Fazer compressas frias na face, sem incidir peso no local;
  • Repousar e dormir de barriga para cima, mantendo a cabeça mais elevada.

Os resultados da ritidoplastia ficam visíveis conforme os sinais pós-operatórios, como inchaço e hematomas, regridem. O mais comum é que o resultado possa ser visto após cerca de 3 meses, enquanto resultados definitivos costumam se consolidar em 12 meses, em média.

Entre em contato conosco e marque uma consulta para tirar dúvidas sobre esse e outros procedimentos.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

Clínica Clincer.

ATENDIMENTO PARTICULAR

Preencha o formulário e aguarde nosso contato ou se preferir, ligue: (11) 3062-6122


QUEM TEM UMA
BOA IMAGEM
TEM TUDO.

Entre em contato
conosco e agende
sua consulta

Atendimento pelo WhatsApp

Fale conosco pelo WhatsApp (11) 99318-1644